EDITORIAS

Cuidados com a Colheita do milho- Grão úmido, silagem e armazenagem

Num cenário onde o rebanho bovino brasileiro é o maior do mundo, os confinamentos estão aumentando e pastagens estão virando lavouras, a utilização da silagem tanto de planta inteira como grão úmido se torna uma estratégia essencial. Nesse contexto é fundamental que sejam adotados cuidados, como escolha do melhor híbrido, manejo da lavoura, colheita no ponto ideal do milho, armazenamento e abertura do silo mantendo os padrões recomendados, a fim de garantirmos um alimento de boa qualidade ao rebanho e minimizarmos as perdas. 

Ao longo desse artigo discutiremos dicas de manejo e particularidades de cada tipo de silagem, mas precisamos saber diferenciar o que corresponde a uma silagem de planta inteira da silagem de grão úmido. A figura 1, nos mostra os diferentes tipos de silagem que existem no mercado, mas o importante é saber que a silagem de planta inteira é um volumoso e a de grão úmido concentrado, informação primordial na formulação de uma dieta.

Figura 1. Tipos de silagem
Fonte: Educapoint

Outra diferença entre elas é o ponto de colheita, assunto que iremos abordar mais a frente, mas em resumo, na silagem de planta inteira colhemos a lavoura com aproximadamente 90 a 100 dias após emergência e a de grão úmido em torno de 3 a 4 semanas antes do grão seco, aproximadamente uns 120 dias. Mesmo com essas diferenças, algo que não muda é a condução da lavoura que para ambas deve ser a mesma, e cuidados no momento da ensilagem. A seguir algumas dicas básicas de condução da lavoura.

Dicas de condução da lavoura

Dentre as principais recomendações durante o desenvolvimento da cultura do milho temos:

 -escolha do hibrido, o qual dependerá se será grão úmido ou silagem de planta inteira ( cada fabricante tem essa recomendação);

– plantio na época recomendada;

-manejo de cigarrinha até no mínimo V7 (7 folhas verdadeiras abertas) buscando rotacionar ativos e associar biológicos aos tratos;

-adubação nitrogenada (se puder ser parcelada para melhor aproveitando e reduzir perdas por lixiviação);

– adubação potássica maior no caso de silagem de planta inteira, uma vez que aproveitamos a planta toda, diferente do grão úmido;

-manejo de plantas daninhas, principalmente as Ipomeas spp.(corda de viola), para evitar perdas na colheita;

– identificar o momento ideal de colheita.

O que é silagem?

Por definição, refere-se ao alimento (forragem/grãos úmidos) que foi conservado por meio do processo de fermentação anaeróbica (não requer oxigênio) a qual foi submetida durante um período.  

Já a ensilagem diz respeito a todo processo que envolve a produção de silagem, que vai desde o corte, picagem, enchimento do silo, compactação até o momento de vedação do silo.  

Colheita

-Silagem planta inteira

A maneira mais fácil de identificarmos o ponto de colheita da silagem de planta inteira é pela linha do leite. O ideal é selecionarmos uma espiga, quebrarmos no meio, e utilizarmos um objeto para cortar o grão em sua lateral, dessa forma identificaremos a porcentagem do grão que já está mais farináceo. O ideal para início da colheita é o grão no ponto farináceo duro, na prática depois do ponto de pamonha, por volta de 90 a 100 dias, com média de 30 a 35% de matéria seca, quando o grão corresponde a melhor qualidade nutricional. O importante é numa visão geral que os grãos representem pelo menos metade da matéria seca ensilada. Na foto 1, podemos visualizar a forma de realizarmos essa técnica e como reparar a linha do leite.

Frutas em cima

Descrição gerada automaticamente

-Grão úmidoA colheita é feita com colheitadeira convencional e deve ser realizada quando a umidade dos grãos estiver entre 30 e 40%, sendo que os melhores resultados parecem

ser obtidos com valores entre 32 e 35%, segundo NUMMER FILHO (2001).  Na prática esse ponto de colheita pode ser identificado pela camada preta na base dos grãos.

Após a colheita, os grãos devem ser moídos finos (suínos), quebrados ou laminados (bovinos de corte e leite e ovinos), com o objetivo principal de favorecer a compactação.

Armazenagem

Depois da condução da nossa lavoura chegamos ao momento crucial e um dos mais importantes, o processo de ensilagem. À medida que é realizado o corte da forragem e a colheita do grão, o enchimento deve estar em sincronia com a compactação, pra evitar perdas. A compactação é responsável por eliminar o oxigênio dentro do silo, o que favorece a conservação e qualidade da biomassa.  Existem vários fatores que interferem na compactação, sendo eles a qualidade da matéria seca e do grão e a quantidade de volume descarregado.

A vedação é a última etapa da ensilagem, e ela deve ser feita de maneira eficiente a fim de garantir o melhor resultado da compactação e favorecer a fermentação, por isso a utilização de uma lona de qualidade é essencial. Recomenda-se uma lona de dupla face de polietileno de 200 micras.

Uma silagem bem compactada deve atender uma densidade de 700 a 750 kg de matéria verde/m³ e para grão úmido uma densidade mínima de 900 kg / metro cúbico, sendo o ideal, 1.100 a 1.200 kg.

Quanto aos tipos de silos, existem vários formatos, tamanhos, materiais que podem ser utilizados para armazenar a silagem, como silo de superfície, silo-bolsa ou bag, silo de fossa, silo-fardo ou bola, silo bunker, silo em sacos, tambores.

Considerações finais

Diante dos custos de produção elevados e das atuais condições climáticas, não podemos errar no manejo e principalmente na armazenagem do alimento do nosso rebanho que precisa manter a qualidade pelo tempo armazenado. Com as dicas apresentadas nossa chance de sucesso será maior. 

ESPAÇO RESERVADO
PARA ANÚNCIOS

Compartilhar nas redes sociais