EDITORIAS

O NOVO AGRO – Cultivando o futuro com tecnologia e sustentabilidade

O “NOVO AGRO” é uma revolução tecnológica e cultural que está transformando a agricultura brasileira, tornando-a mais eficiente, conectada e informada.

O “NOVO AGRO” é uma revolução tecnológica e cultural que está transformando a agricultura brasileira, tornando-a mais eficiente, conectada e informada. O NOVO AGRO é muito mais do que apenas uma transformação digital. Ele representa uma evolução significativa no setor. Não se trata apenas de máquinas modernas ou aplicativos sofisticados; o conceito abrange desde a adoção de tecnologias até mudanças na mentalidade dos produtores rurais e na forma como o agro é conduzido.

Bem-vindos ao NOVO AGRO, um cenário onde a tradição se encontra com a inovação e onde o futuro é moldado por jovens conectados e produtores que dominam a linguagem da tecnologia. Vamos explorar os principais pontos desse conceito:

O despertar da transformação

O NOVO AGRO não se resume à transformação digital. Ele transcende os limites das lavouras e adentra os escritórios, a cooperativa e o campo. André Rossi, gerente de tecnologia da Coopercitrus, nos revela essa mudança: “A turma do talão de cheque, que fazia contabilidade no canhoto, era uma geração que demorava mais para se atualizar. Hoje o dinamismo do agro se intensificou e essa transformação existe em muitas áreas, e a Coopercitrus tem o papel de ser a porta de entrada para essas inovações”, afirma André Rossi, Gerente de Desenvolvimento Técnico de Mercado da Coopercitrus.

Safra e Safrinha: uma jornada de expansão

As áreas de safra e safrinha se multiplicaram. O café, outrora restrito a núcleos específicos, expandiu-se para outras áreas, como o cerrado. O Mato Grosso viu suas áreas de cerrado crescerem exponencialmente, enquanto os módulos rurais ganharam novas proporções. Agricultores se profissionalizaram e as novas gerações têm acesso a uma formação mais rápida e abrangente. Agrônomos, veterinários, zootecnistas, técnicos agrícolas estão mais tecnificados. Além disso, profissionais de outras áreas também se tornaram parte desse ecossistema.

Acesso à Informação: o Novo poder do produtor

Rossi salienta que esse novo produtor com mais acesso à informação é diferente do produtor que ia todo dia de manhã na cooperativa tomar um café e conversar com o agrônomo.

“Ele está conectado, acessa informações instantaneamente e está ciente de mudanças, fusões e inovações. Tecnologias como aplicação de defensivos, transgenia e fertilizantes estão ao alcance de todos. O agrônomo, por sua vez, precisa ir mais ao campo, entregar relatórios elaborados e divulgar as novidades diretamente ao produtor”, salienta.

O jovem Conectado e o chip da transformação

O “NOVO AGRO” é personificado pelo jovem de 20 a 30 anos, nascido na era digital. Ele acessa informações via WhatsApp, consulta os mapas detalhados da propriedade pelo celular. O antigo talão de cheque deu lugar a um chip com dados sobre solos, fertilidade e muito mais. A revolução tecnológica no campo é consistente e informatizada.

A Cooperativa como ponto de apoio à inovação

O relacionamento entre cooperativa e produtor está cada vez mais sólido. A Coopercitrus, além de ser pioneira em drones de aplicação, traz sementes de qualidade e tecnologia de ponta. O “NOVO AGRO” é mais do que uma revolução; é a tendência de um futuro sustentável e conectado.

A cooperativa é essencial para disseminar novas tecnologias e estimular os produtores a atualizar suas práticas de campo e de gestão, seja com novas tecnologias de manejo, apoio ao planejamento da safra e até mesmo o suporte na comercialização da produção. 

Novas tecnologias e manejo inteligente

Para enfrentar os desafios do presente e do futuro, o NOVO AGRO investe em novas formas de cultivo. O manejo nutricional, o uso de bioinsumos e o manejo integrado de pragas são estratégias que garantem a produtividade e a qualidade dos produtos.
Na Coopercitrus, a plataforma Campo Digital integra uma série de inovações de agricultura de precisão, oferecendo uma maior exposição do produtor às novas tecnologias.

Sustentabilidade: pilar essencial

Além da tecnologia, a sustentabilidade é um assunto que vem se destacando no agro. A preocupação com o uso consciente dos recursos naturais, sistemas inteligentes de manejo da água e a adoção de energia limpa, como a solar, também fazem parte desse NOVO AGRO sustentável. Além disso, cresce o interesse pela recuperação de nascentes, reflorestamento de áreas de preservação, descarte correto de embalagens e as práticas preservam e regeneram o solo. 

Nesse sentido, a Coopercitrus atua para aproximar os cooperados das novidades que estão no mercado. A cooperativa tem um papel importante para que os cooperados conheçam, validem e testem novas tecnologias que façam sentido, considerando a sua realidade.

Eles são o retrato do NOVO AGRO

Henrique Bueno Pereira
Inovação tecnológica no setor citrícola

“Hoje, a Coopercitrus caminha lado a lado com a gente. Eu acredito que, sem ela, a gente estaria muito mais para trás do que estamos hoje. A Coopercitrus me ajuda muito nessa parte de orçamento, de manejo que pode dar certo, de fazer teste junto com alguns fornecedores”.

Henrique Bueno Pereira, engenheiro agrônomo de 31 anos, está revolucionando a tradição agrícola de sua família na cidade de Pirajuí, (SP). Como membro da terceira geração de uma família com forte histórico na criação de bovinos, Henrique decidiu direcionar seus esforços para um novo empreendimento: o setor citrícola.

Em uma área de 110 hectares, ele cultiva 70 mil pés de laranja de cinco variedades diferentes de porta-enxerto. Em outra propriedade, no município de Boracéia, toca a produção é de cana-de-açúcar.

Com uma visão voltada para o futuro, Pereira buscou alternativas mais lucrativas e sustentáveis para sua família. 

No comando da gestão do setor citrícola, o jovem produtor assume responsabilidades que vão desde a compra de insumos até a venda da fruta, passando pela gestão operacional e de pessoas. No entanto, o que realmente diferencia Henrique é seu compromisso com a inovação tecnológica. Desde o início, ele demonstrou uma paixão pela tecnologia e pela busca constante por soluções que pudessem otimizar as operações agrícolas. Ele implementou sistemas de irrigação 100% automatizados, controlados diretamente pelo celular, e adotou o uso de drones para mapeamento do pomar.

Além disso, Pereira investiu em tecnologias avançadas, como tensiômetros elétricos, para monitorar a umidade do solo e garantir uma irrigação precisa e eficiente. Todos os tratores da fazenda estão equipados com GPS, permitindo o rastreamento preciso das atividades no campo e a identificação de possíveis falhas.

“Buscamos sempre estar um passo à frente das dificuldades”, diz Henrique. “A tecnologia não apenas aumenta nossa eficiência, mas também reduz nossos custos e nos permite focar em áreas onde podemos obter resultados ainda melhores”.

A abordagem inovadora de Henrique está rendendo frutos não apenas para sua família, mas também para a comunidade agrícola local. Sua determinação em combinar tradição com tecnologia está pavimentando o caminho para um futuro mais promissor no campo.

O produtor rural ressalta: “É importante não apenas seguir tradições, mas também se adaptar às mudanças e abraçar a inovação. É assim que garantimos o sucesso a longo prazo da nossa agricultura”, afirma o cooperado.

Akira Fukuda
Equilibrando inovação e rentabilidade

“Prezo muito a questão da tecnificação, da cultura. Como profissional, tento ser o mais técnico possível. E, como agricultor, também sei o quanto dói no bolso, quanto é o custo, e por isso peso com as duas medidas — ora como técnico, ora como produtor”.

Akira Fukuda personifica o produtor rural contemporâneo: enraizado na tradição, mas aberto à inovação e colaboração. Sua história exemplifica a importância do relacionamento de longo prazo entre produtores e empresas do setor agrícola, como a Coopercitrus, na busca por soluções sustentáveis e eficientes para o agronegócio brasileiro.

Fukuda, 34 anos, é um produtor rural que carrega consigo a herança de uma longa tradição agrícola. Originário de uma família de imigrantes japoneses que se estabeleceram no Brasil para trabalhar na agricultura, ele segue os passos de seus antepassados, administrando as propriedades e bens deixados por seu pai.

Formado em Engenharia Agronômica pela UNESP de Jaboticabal, ele combina habilidades técnicas com um profundo conhecimento prático do campo. Gerencia não apenas suas próprias terras, mas também áreas arrendadas de familiares que optaram por sair do ramo agrícola. Essa transição suave e contínua é reflexo do forte relacionamento estabelecido ao longo das gerações, especialmente com a Coopercitrus. “Eu trabalho com a cultura de cana-de-açúcar e faço a rotação de culturas nas áreas de reforma com soja, tudo por minha conta. Sou prestador de serviço da parte de tratos culturais e plantio nas áreas de cana-de-açúcar aqui em Taiúva. Presto serviços para

muito pequeno produtor aqui, produtor de 2 hectares, 5 hectares, 10 hectares. Tudo em torno de Taiúva”.

Conectado à lida no campo, Fukuda afirma que seu principal desafio é saber filtrar e aplicar as tecnologias: “Na época do meu pai o maior desafio era ver a longevidade da cana; antes era café, depois laranja. O grande desafio dele era essa visão de como seria o futuro. Hoje, a gente tem uma visão de futuro e consegue enxergar até um pouco mais longe. Nosso desafio é até onde vamos tecnificar a produção agrícola e como vai ser a mão-de-obra para suprir essa demanda”, afirma.

Hoje a produção de cana-de-açúcar possui tecnologias como pulverizador eletrônico, que controla a vazão e é uma novidade na região. Os tratores receberam piloto automático, permitindo assim que as demais operações sejam feitas também com auxílio desta tecnologia, o que faz a colheita ser totalmente monitorada de onde Fukuda estiver.

Desde os tempos de seu pai, a relação de Akira com a Coopercitrus vem se consolidando. “Esse relacionamento vem passando de geração para geração. O Edmar, que me atende atualmente… o pai dele vendia para o meu pai. O pai dele aposentou, o Edmar entrou no lugar do pai, na carteira, com a carteira que o pai tinha. O Edmar passou a vender para o meu pai, meu pai foi saindo do ramo do agronegócio por motivos de saúde. Eu entrei e hoje o Edmar me atende, entendeu? Então é uma coisa que vem passando de geração para geração”.

O relacionamento de Akira com a Coopercitrus vai além da transação comercial. Ele valoriza a assistência técnica e o suporte oferecidos pela cooperativa, colaborando em projetos e experimentos conjuntos. Sua formação técnica e abertura para o desenvolvimento de produtos fazem dele um parceiro valorizado pela Coopercitrus.

Leandro Ribeiro Santucci

Preocupação com a qualidade e sustentabilidade

“Sabemos que não basta apenas produzir mais. A qualidade é fundamental para o sucesso a longo prazo. Estou me dedicando a melhorar o nosso cultivo”, destaca o jovem produtor.

Na região da Alta Mogiana, em Cristais Paulista, o jovem produtor rural Leandro Ribeiro Santucci, de apenas 24 anos, está deixando sua marca na tradição familiar de quatro gerações de cultivo de café. Ele também representa a nova geração de produtores rurais que buscam modernizar e aprimorar suas práticas agrícolas, destacando-se pela valorização da qualidade do café e pela preocupação com a sustentabilidade ambiental. Aos 14 anos Santucci mergulhou no trabalho do campo, inicialmente aprendendo as técnicas tradicionais do cultivo manual de café ao lado de seu pai e do avô. No entanto, à medida que o tempo avançava, ele testemunhou a evolução da tecnologia no campo, incorporando tratores e implementos para tornar o trabalho mais eficiente.

“Comecei cedo, trabalhando com meu pai e avô. Na época a produção era toda manual. Aprendi muito com eles e vi como as coisas mudaram com a chegada dos tratores e máquinas e das novas tecnologias, mais recentemente”.

Atualmente, Santucci gerencia uma propriedade de sessenta e quatro hectares, sendo trinta e cinco deles dedicados ao cultivo de café. Com uma abordagem centrada na qualidade, ele vem buscando não apenas aumentar a produção, mas também melhorar a qualidade do café final.

Sua parceria com a Coopercitrus tem sido fundamental nessa jornada de aprimoramento. A cooperativa fornece suporte técnico e acesso a informações essenciais sobre manejo de cultivo, enfrentamento de doenças e pragas, além de orientação sobre novas práticas sustentáveis. “A Coopercitrus nos ajuda muito com informações e recomendações. Os agrônomos estão sempre com a gente, trazendo informações e nos ajudando com orientações técnicas”, comenta. 

Ele menciona o apoio recebido em relação ao combate aos nematoides, onde a cooperativa recomendou produtos e tratamentos eficazes. Além disso, a cooperação está ajudando Leandro a fazer a transição para métodos biológicos de controle de pragas, demonstrando um compromisso conjunto com a sustentabilidade ambiental.

A Coopercitrus também abriu as portas para a agricultura de precisão entrar na propriedade de Santucci. Com suporte da cooperativa, o produtor investiu na aplicação via drone em lavouras de difícil acesso e também na análise de solos com precisão pelo Geofert.

No entanto, a busca por qualidade não se limita apenas ao campo. Leandro planeja investir na produção de café de alta qualidade, adotando métodos como o café CD (cereja descascada) e até mesmo lançar sua própria marca.

“Acreditamos que há um mercado crescente para cafés de alta qualidade. Queremos aproveitar essa oportunidade e posicionar nossa marca”.

Ao refletir sobre o futuro da agricultura, Leandro destaca a importância de aliar aumento de produção com sustentabilidade. Ele observa que os novos produtores estão cada vez mais focados em tecnologias que reduzem o uso de produtos químicos, visando aumentar a produtividade sem comprometer a qualidade do produto ou o meio ambiente. “Queremos produzir mais, mas de forma sustentável. É importante cuidar da terra”, afirma Santucci. Nesse contexto, a Coopercitrus desempenha um papel crucial ao fornecer suporte técnico e promover iniciativas que visam aprimorar a produção agrícola de forma sustentável. Através de palestras e treinamentos, a cooperação está ajudando os produtores como Leandro a adotar práticas inovadoras e ambientalmente responsáveis, garantindo assim um futuro promissor para o setor agrícola.

ESPAÇO RESERVADO
PARA ANÚNCIOS

Compartilhar nas redes sociais